! Cotchabamba !

. Melhor que Manhatchian .

o que mais, pessoal? maio 16, 2010

Filed under: 1,dá um post — ritoca @ 5:10 pm

Seguindo a tradição errada de só usar isso aqui como lugar de comentários da noite passada, bora lá falar do aniversário da integrante mais pop de nosso Cotcha, claro que só posso estar falando de Sofia, a.k.a. Charlene, Horácio’s Hands, mais carinhosamente Sofizinha, Soft, Sofs, Crô, Sossô, a mineira mais carioca-no-bom-sentido do nosso coração. Isso tudo pra expandir um pouco mais o post, pois, como a maioria já sabe, a autora aqui ficou alcoolicamente inconsciente parte do tempo. Então, só quero parabenizar mesmo a aniversariante, não pelo aniversário, mas pelo carisma, afinal, reunir tanta gente não é fácil – e talvez não seja motivo de parabéns, mas ok. E, assim, mesa mais heterogênea não era fácil de achar em BH – ok, talvez hetero não seja o prefixo certo, mas, opa, aqui é todo mundo amigo e a conta não vai dar problema – vibe só possivelmente presente em causas de Sofia. Noite animada, aniversariante saltitando de lá para cá em todos os cantos da mesa, enganando geral que tava gostando da festa, e, entre um choro de um lado e tequilas de outro, galerê foi ficando bêbada, simpática to each other (ou não) e em pé, porque mesa pra 20 pessoas realmente não comporta 40, gente, que absurdo. E, no final, vamo todo mundo, inclusive os erroneamente listrados e/ou indevidamente convidados, pra Velvet, pessoal? Vamos? Não. Só os seletamente selecionados pra lista, certo? Não também. Mas eu fui e os outros que importam também. E, ao som de Tik Tok, porque a gente quebra tudo meeeeermo, pessoal resolve beber mais. Mais tequila, mais drinks coloridos e mais cerveja, pra não misturar, porque isso que faz a gente passar mal e perder a consciência… anram. E então faltaram poles pro dancing de algumas e sobraram pretendentes pra outras, enquanto outra dormia fragil e vergonhosamente em um canto doce da nossa querida Velvetchy, ambiente propício pra todas as nossas vontades e absurdos, como já dizia Tatazinha. Ao raiar do dia, McDonalds fechados, bolsas encervejadas, casais feitos e quase desfeitos, o sono sempre nos espera, obrigada, vamos em paz, prontas pra próxima que já já vem aí.

Beijos e vamos diversificar a tradição?

Anúncios
 

Acredito na diversidade março 28, 2010

Filed under: 1,dá um post — tuty @ 10:51 pm

Duas rapidinhas:

1. Setting: Travessa, na minha magic-Friday-accidentally-in-love. Ação: vem o vendedorzinho-engraçadinho-NOT de amendoins da Savassi — o mesmo que, em sua prévia aparição, havia me chamado de Kelly Key, a quem respondi que aquilo definitivamente não era um elogio e blábláblá — e me chama de Angelina. Porque Jolie e eu somos gêmeas separadas ao nascer? Nããão. Por causa dos lindos cabelos igualmente loiros? Nããããão. Porque estava lá com meus trocentos filhos somalianos? Nãããããããããão! Pelo mais importante: porque eu estava com o Brad. #Superseriãojuropordeus

2. Setting: matagalzinho de Confins — a.k.a. “selva” —, no meu sábado-escoteiro-sobrevivente-revivendo-o-cm, sendo eu a ‘zero-meia’, entre 3 milicos e 68 outros sobreviventes, 60 dos quais super voluntários-empolgados-gererê-gererê-uéleéssedê. Frações subsequentes:  – ‘Zero-meia, vem aqui ajudar a limpar o frango!’ ‘Não, obrigada.’ ‘Tá com nojinho, zero-meia?’ ‘Não, não, é que não sei msm… e, tá, tô com nojo tbm.’  – ‘Zero-meia, vc já matou alguém?’ ‘Não. Pffff.’  – Um botijão de gás em chamas à frente da galerê: ‘Zero-meia, tá com cara de quem quer ir pra casa, então é sua vez, vem aqui!’ ‘Sim, senhor’ (ironia perceptivelmente mode on). Meto eu o dedo e apago o fogo.

FIM.

 

prontopostei. janeiro 29, 2010

Filed under: 1 — sandrinhaa @ 12:46 am

Quinze dias em bh, e nêgo ainda me pergunta pq eu gosto tanto daqui! Meu deus, vc precisa ter os amigos que eu tenho. Vem cá, menino, senta que eu vou contar uma historinha (e olha q nem vai ser a melhor das férias.. daqui a pouco alguem vai falar de Sabará s2, ok, eu falo). Pois bem. Eu chego num bar combinado, levo um sustinho ao ver uma mesa quase vazia, sentimentalmente falando.. Drougas! A noite vai ser péssima! Ah vai.. Cervejinha vai, vodkinha entra, e o cotcha vai se completando.. Daí, pluft! Londres, oi? Paçoquita de tira-gosto! Fotos tosconas! Palhaçadas em plena rua! Um samba! Várias heineken’s! Vários dinheiros tb, pq nessas horas todas as bebadas são Paris Hilton.. Sem contar a simpatia q transborda dos nossos potões coloridos, e de repente somos minc’s de Dóris e de Jesus, com todo o seu esplendor, glória e potão chines particular.. q afinidade, bonita! Lagrimas. E traz mais uma porção e uma cervejinha, pq tem uma aloka ali tirando a blusa, outra que não cansa de encher meu copo, outra q sai de mansinho qdo ameaça passar dessa p uma melhor.. Aí, eu olho p o relógio, e… BOM DIA, seu Francisco!

´´´´´´´1¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶´´´´
´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶´´´
´´´´´o¶¶¶¶¶¶¶$´´´´´´´ø¶¶¶¶¶¶´´
´´´´´¶¶¶¶¶¶´´´´´´´´´´´´´ø¶¶¶¶´V¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
´´´´¶¶¶¶¶¶´´´´´´´´´´´´´´´o¶¶¶,,,,,,,,,,,, ¶¶
´´´¶¶¶¶¶¶¢´´´´´´´´´´´´´´´´$¶¶´ ME ADD NO  ¶¶
´´´¶¶¶¶¶ø´ø¶$¶¶¶ø´´´´´´´´´1¶¶1   ORKUT!!! ¶¶
´´o¶¶¶¶¶´1o¶¶¶¶¶´´´1¶¶ø¢o$´¶¶¶¶,,,,,,,,,, ¶¶
´´¶¶¶¶¶´´´´´7o71´´´¶¶øø$1´¶¶¶ø¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
´$¶¶¶¶¶o´´´´´´´´´´´¶´¢¶¶¶o¶¶¶øV
7¶¶¶¶¶1´´´´´´´´´´´´$´´´´´7¶¶¶ø
ø¶¶¶¶¶7´´´´´´´´´1´´¶´´´´´¶¶¶¶ø
¶¶¶¶¶¶¶¶´´´´´´¢¶¶¶¶7´´´´¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶¶¶1´´¶¶¶¶¶ø¶¶ø´o¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶$¶¶´´7117¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶o¶¶¶¶´´´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶7´¶¶¶¶¶oo7$¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶7´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶´´´´´ø¶¶¶¶¶¶¶´´¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶o´´´´´´´´´´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶

Ai neh, dia desses decidimos que íamos morrer de beber, naquilo que seria a primeira despedida das 73898392 q estão por vir.. Tivemos a brilhante ideia de juntar Absolut, Cuervo e Elma Chips trancadinhas no aconchego de um lar em sabará.. Não sei porque, eu tento tirar uma imagem desta noite, ai seguem outras tantas tao engraçadas quanto.. tipo, a pose de atriz pornô para se encher um colchão inflável, e depois de HORAS de esforço, encontrar sua pequena cama sem ar. Ai aparece a Rita.. “pode deixar que eu durmo ae, toconfortavel, to boua”.. ta bom, bebada.. Era apagar a luz, que uma vozinha de dor aparecia.. hauahauahuaha comofas, hein rita// Rita me lembra tb o momento FOTOS. Centenas, milhares, e de repente descobrimos um dom: achar poses e fotos com coisas e ideias que, simplesmente, não fazem sentido algum, só muita graça.. o mundo precisa dessaas fotos – so digo isso!! haauahauahauah

Mais um paragrafo. To na semana do meu aniversario e o inferno astral – toc, toc – chegou! Eu curto taaanto! Segunda feira, tive a ideia magica de tirar meu passaport… digo, carteira de trabalho. Fui la no cudojudas. Sabe, não entendo psicologia, mas acho traumático o local para se tornar um trabalhador desempregado ser justamente num pardieiro, numa quase zona, cheio de pequenos bandidinhos a espreita. Tipo: “se vc tá fudido, vc tá no local certo! vem pra zona vc tb, vem!” Coragem, eu tenho. Fui.. enfrentei uma fila ENORME com direito a senha e pessoas que acham que eu qro compartilhar seus pobremas.. todeboua. Sou simpatica. Enfrento fila na paciencia. Escuto mil historias desgraçadas de dignos patrões masoquistas. Ai, vem o guiche, que sequer olhou a minha cara de teamotanto.. Fuça os papeis, faz minha CTPS e diz: “DESENHA seu nome duas vezes e põe a data”. Oi desenha? Recalcado, maldito. Desculpa ae se sou pobre, mas meu nível de alfabetização tem o superior completo. Mas desgraça nunca vem sozinha.. Deprimida com minha tarde de horror do dia anterior, decidi fazer um comprinha básica.. roupinha bonitinha p meu quase-emprego. Que gracinha: uma blusa q serve sem ajustes e um vestidinho de matar Meryl Streep de desejo. Fiquei ate feliz, mas lembrei q estou no inferninho zodíaco. Aff. Vamo pagar. Caixa lotado. E o cartãozinho querido bloqueado, do nada, sem motivo, sem dívida. Vergonha? imagiiiina. Só me restou fazer a egípcia desentendida, dizer adeus p uma peça e pagar com os últimos tostões.. quequié, torica! Ae, não satisfeita mesmo com tanta alegria para uma semana QUERO MAIS. entao, pra finalizar, fui num stand-up comedy. perae: rá-rá-rá. ZzzZzz..  pois eh, diversaum, a gente se vê por aqui..

(desnecessário um post tao grande)

 

Perspectiva 2: apanhado geral janeiro 8, 2010

Filed under: 1,dá um post,Top — ritoca @ 12:00 am

Não ter acesso à internet durante o dia faz isso, né, você escreve um post à tarde e ele já fica defasado no início da noite. Pois eu bem achei que pela primeiríssima vez seria a primeira a comentar nossa vida aqui em Cotcha, mas não. Tatazinha, livre, leve e solta que é, já o fez antes. Mas, uma vez que em Cotcha temos váááááárias perspectivas e pontos de vista diferentes, vamos ao meu post escrito à caneta em folha de rascunho na minha própria hora de almoço:

E aí que uma parte de Cotcha viajou. Para os confins do mundo espiritossantense, em busca de sol e cerveja muita paz, alegria, tranquilidade e, por que não, amor. Mas vou falar, viu, galerë não tava querendo deixar a gente encontrar isso tudo não viu… A começar pelas já mencionadas por Tatá mincs loucas da rodoviária fake, que perderam o ônibus pra POR-TO SE-GU-RO e começaram o escândalo mexicano favelado idiota com o motorista do ônibus que, 40 minutos depois, ia pra CON-CEI-ÇÃO DA BAR-RA. Conexão kd// Daí já devíamos ter sentido qual seria o TOM do nosso exílio: MINCS. Foi tudo o que encontramos. Paz, alegria, tranquilidade, amor? NOT. Se bem que pelo menos uma de nós conquistou de verdade ao menos 1 coração adolescente, né, que não é coisa de se desprezar. Ainda mais quando a pessoa adolescente-coração-bandido-wannabe deixa um bilhetinho, genteeee, na fenda do portão da pousada do Seu Ramon, só pra alegrar o dia de sua amada. LINDO. Pois é. Até tentamos, sabe, nos entrosar, porque quem nos conhece sabe: simpatia, a gente vê por aqui. Ainda mais quando precisamos de um notebook emprestado pra descarregar a máquina FAIL que as Casas Bahia me venderam. Mincs usando o tão desejado PC em pleno passeio, e o approach cotchabambístico foi, assim, FINO. Um primor. Quase que só dá pra contar encenando, mas garanto que João Paulo e Gabriel, mincs lenhadores ricos e gorduchos de CONTAGEM-MG, nunca mais se esquecerão dessas três belezuras aqui.

E na praia, gente, quantas pessoas interessantes! Tudo bem que a maioria delas consegue se embarangar inteira com o mínimo de roupa possível. Impressionante. Tatuagens idiotas, quem curte// É, galera erra feio na escolha dos biquinis e sungas e ainda mais quando os que são casais tentam se combinar um com o outro. Diversão garantida. Mas o melhor mesmo foram nossos achados de beleza entre a baranguice reinante. Coisa difícil, mas encontramos a fina flor da masculinidade, ali, bem pertinho, de sunga roxa, branca, com bebês ou piriguetes (porque é isso que ela era!) a tiracolo, porque ninguém é perfeito. Mas encontramos. Pras mais íntimas, depois mostramos as fotos – é, tem fotos… e vídeos, porque a gente é profissa na espionagem. Até identidade falsa rolou. Pra quem não sabe, a gente é de Americana, SP, e… não, a gente não é americana não, seu burro, a gente é DE Americana. Rolou esse papo.

Pois é, viagem de Cotcha é só diversão, de qualquer perspectiva. Ainda tem muito mais a se falar desta. E espero ansiosamente pela próxima. E pelo post da Sofia.

 

FakeCotcha – Parte I janeiro 7, 2010

Filed under: 1,dá um post,Top — tuty @ 9:03 pm

Gentem… Reveillon brilhou mto em FakeCotcha. A tequila teimou em não fazer lá grandes efeitos, acabou a Brahma na praia, o ons da volta fudeu galerë de raiva e de vontade de fazer xixi e tals, mas azamigas, com suas perspectivas e sua receptividade ao inesperado, se provaram, mais uma vez, grandes Antedêguemoooons. Rodoviária São Gabs — se é que se pode chamar aquilo de rodoviária — já nos deu uma prévia das intempéries que se seguiriam nos próximos ensolarados dias de SprituSantu. Como chegamos hoooooras antes de nosso esperado embarque, presenciamos coisas que só passageiros convencionais podem nos proporcionar. Mas passageiros convencionais rumando ao sertão… Daquele jeito. Aí umas antas nordestinas, com pequenos jumentinhos tbm nordestinos no colo, pilhas de malas esparramadas pelo cimento grosso, brigando com o motorista do ons-que-não-era-o-delas porque, olha só, estando 40 minutos atrasadas, clamavam o não aparecimento do ons PortoSegurense que as devia levar pra deveras longe dos belos horizontes mineiros, se Deus assim permitisse. Mas, neam, sadismo divino marca sempre presença. Sei lá que fim tiveram nossos Policarpos da vida real, só sei que foi merecido. Burrice se paga msm no nordeste. E não é que Miriane fez um mincs na plataforma? Aí foi que o mincs era meu colheguinha de poltrona no ons. Mincs puxou papo. Os foninhos comandaram em meus ouvidinhos-que-não-são-lixeira. Mincs saca da mochila o q?!? Uma garrafa de vinho, bens. E abre. E bebe. E me oferece. Ai. Ganhei um beijinho de feliz ano novo na despedida. AAAI. Dormi por três músicas do The Kooks, enquanto as meninas babavam em seus travesseiros. Ohyeah. Enfim chegamos. Seu Ramon lá, bronzeado, atlético e sorridente, apesar de sonolento, a nos esperar… Amor. No carrinho apertadinho passeamos pela avenida da orla, observando o comércio, a falta de calçamento, as saídas de praia artesanalmente feitas de telinha… enfim, nosso lar-doce-lar e nossa fakefamily. Curtimos. Puro afeto. Nossa casinha-quarto-kitchen-banheiro não tinha box, o morno do chuveiro era quente e o gelado, gelado msm, mas foi paixão a primeira vista. Tudo lindo. Tiramos calças dgeans e fomos explorar, porque a fome tava feia e sono é pros fracos. Lanche do Carlão nos proporcionou sanduíche sem batata palha, brinde cobrado na conta, suco inexistente e 40 minutos de espera. Primeira e última vez. Praia então, pq… neam… já estávamos lá meeeeermo. O quiosque recomendado por mamãezinha tava lotado e cobrando caro, assim como os demais da vizinhança. Mal sabíamos que isso era um truque do destino para que viéssemos a topar com o capixabinha mais tchutchuquinho de Castelha: Dodô! Pé na areia, solzinho longe de mim, camarão com limão-que-me-rendeu-manchinhas-na-mão, mincs e inimincs everywhere, brisa, cervejinha e paix, representada pela pombinha branca de guardanapo, que fazia suas aparições em meus dias mais inspirados. Conhecemos ali naquele quiosque nossos maiores afetos e desafetos praianos. Sunga branca-roxa-listrada se mostrou um idiota completo com o decorrer dos dias, assim como sua insuportável girrrlllllfriend-peito-kd, tagarela de marca maior, só de asneira sem sal. Aí já começamos a formular nossa teoria de apenas um dos milhares grandes aprendizados dessa afetuosa road trip, que se resume em: só há no mundo casais disformes. Podem observar. É impressionante a capacidade humana em copular com o impertinente. Embasbacadas ficamos. Mas na praia, bebendo cerveja. Maiores amores e desamores virão com o virar da ampulheta. Aí casa, banho, miojo, tequila, busca por um bar. Famílias jantando moqueca no restaurante do hotel da cidade e nós, sem comida, só bebida e brinks, mtas reveladoras brinks. Como o dia foi meio puxado no quesito várias-coisas-e-nenhuma-coisa-ao-msm-tempo-aconteceram, e tbm pq a vida noturna de FakeCotcha não se mostrou lááááá essas maravilhas, fomos, bêbadas, mas de sono, em horário decente pra nossa kitinetezinha de número 3. Finda nosso primeiro dia de aventura radical regada a protetor solar. Como tô mto prolixa hoje — e não, não curto esse estilo —, confiram então o restante de nossas peripécias à milanesa um outro dia desses, nesse mesmo horário, nesse mesmo canal, com essa galerinha da pesada aprontando aaaaaaltas periculosidades picantes. Kissescallmenot.

 

uma pose ae, benhe! outubro 30, 2009

Filed under: 1,erro — sandrinhaa @ 2:51 am
PA121280

piada interna + espírito de "lucas celebridade" = FLASH erro

 

e essa perna virada de curupira, quem explica?

 

Espetáculo à parte outubro 25, 2009

Filed under: 1 — tuty @ 3:30 pm

Pre-ci-so externar o parêntese que se segue. Rapidim. Ontem, neam? Vc tá lá no show, sussa e tal, a princípio de boa vontade, sóbria e tudo mais. Aí é questão de pôka bosta que a maré vira e o fedor levanta. Sabe o que acontece? Vc é OBRIGADA a ver mais o sovaco da rebolante carente baranga da frente do que o espetáculo em si. Aí vc dá uma desviada uma vez… Duas. Três. Como não sou de insistir e aparentemente tenho um ímã pra esse tipo de coisa, acabo por desistir do palco e ASSISTO A GORDA. Aí percebi o quanto é triste uma pessoa não se bastar, sabe como é? Pq a dita ia dgixcóxtax, com patinha-na-cintura-Netinho-de-Paula-Tanajura e/ou axilas à mostra até topar com outrem e aí fingir que é sexy e tá super se divertindo às pampas. Ai, Deus. Não… Sozinha a bicha não dançava não, só fechava os olhinhos e SENTIA a vibe. Sabe? Pentecostes, orar em línguas, sentir o espírito santo que há em vc? Poisé. Enfim, aprendi a fazer caretas de desgosto/nojinho/oi? ontem que não sabia serem passíveis de feitura. Post mental: matrícula no Net urgente! Ah, aprendi uma tática de guerra e facaquiadica pra futuras vítimas: segure a cerveja com o braço firme e imediatamente à sua frente, pq quando a Popotinha vier saracuteando de ré e sem coordenação pro seu lado, pelo menos não esfrega seu delgado corpitcho na sua fuça (ai, até arrepio). Só sei que cinco minutinhos de Roberta Sá renderam cenas aterrorizantemente grotescas na minha mente. Brigada, Music Hall.